Como descobrir a verdadeira alma gémea?

Março 3, 2008

400_f_5868069_sxshinfoupmsqredksboejnxvarkvmxd.jpg

Todos dizem que existe uma alma gémea para cada pessoa. Ele pensou ter encontrado a sua. Sempre pensou que sim. Ainda hoje mesmo acredita nisso. Com a alma gémea procurou pelo mesmo destino. Imaginou em conjunto planos a médio e longo prazo. Viveu o sonho. Imaginou outros sonhos. Mas por vezes os infinitos de vinte e quatro horas são caprichosos. O destino ajudado pelo tecer maléfico da obra do demo, afastou-os. Subitamente. Será que se tinham tornado absurdamente diferentes? Teria ela deixado de ser aquela que ele achara perfeita? Teria ele perdido o seu encantamento? Não seria ela a sua alma gémea? Tudo isto o deixou confuso. Poderia ter-se enganado assim tanto numa apreciação. Não se poderia confiar cegamente no amor? Mesmo naquele que é verdadeiro e que dói. Dói porque o amor é de um egoísmo atroz. O egoísmo de se querer aquela felicidade. Toda e exclusivamente para nós.

Questionou-se, sobre qual seria a principal característica de uma alma gémea? Ela tem que ser muito parecida consigo ou muito diferente? A teoria da atracção dos opostos indicava o lado da diferença. As diferenças são sempre complementares. Ajudam a tornar a união mais forte. A alma gémea seria sempre a outra parte do puzzle. Mas porque não procurar na alma gémea exactamente o mesmo? Seria essa uma boa solução para a poder identificar? Esta era a teoria exactamente oposta. Procurar alguém que aprecie exactamente as mesmas coisas que ele. Para isso teria que assumir que era completo. Que o que lhe faltava na sua vida era apenas a companhia para viver os momentos que ele gosta de viver. Deveria ser a alma gémea parecida ou preferencialmente idêntica? Mas seria ele tão perfeito e completo que não necessitasse de alguém que o complementasse? Querer apenas uma companheira para partilhar apenas os sonhos dele seria verdadeiramente amor? Ou não seria apenas um tremendo egoísmo? Na verdade, ele nunca me chegou a responder a todas estas questões. Apenas me contou uma história. Exemplificou uma situação simples. Ajudou-me a compreender.

Num certo fim-de-semana, ele viajou para um hotelzinho na costa portuguesa. Apenas mar pela frente. O tempo ajudou o romance. A chuva era intensa. O vento fustigava seriamente o mar. A chuva obriga ao recolhimento. Coloca-nos dentro de quatro paredes. Ajuda a criar proximidade. Aquele recato de se degustar o outro. Talvez a historia que se segue não seja um relato preciso. Nem sequer exacto. Talvez, nem os dias correspondam a realidade. Talvez ele tenha contado a sua versão. Mas todas as histórias têm sempre uma ponta de verdade. Talvez ele, apenas, me tenha querido fazer compreender. Compreender o que é uma verdadeira alma gémea.

Naquela pequena vila ele pode perceber o quanto tudo teria sido diferente se não tivesse ido com a sua alma gémea. Tiveram tempo para se apreciar. Não perderam tempo com visitas turísticas. Daquelas com hora marcada para bem cedo. Não percorreram a noite. Não buscaram as multidões eufóricas de um sábado á noite. Na verdade, foi tudo simples. Como a própria história em si.

No primeiro dia, enamoraram mal invadiram o quarto. Não aguardaram por desarrumar a mala e por assentar a roupa impecavelmente no armário entreaberto. A exaltação já vinha da jornada de carro. Ali apenas descarregaram a sua ansiedade. A ansiedade de beijar o outro. De acariciar todo o corpo. Corpos húmidos. Talvez da chuva. Possivelmente do desejo. Apenas tiveram tempo de olhar o mar. Revolto. Como os seus próprios corpos. Fizeram um prólogo para a noite que se avizinhava. Puseram a garrafa de vinho ao lado da cama. Sorriram. Ninguém pensou em ir comprar presentes ou lembranças. Todas as lembranças estavam naquele quarto. Aquilo não foi o cumprir de uma obrigação. O desprazer de fazer o rotineiro sexo básico. Ninguém se arranjou primorosamente e detalhadamente para o jantar da primeira noite. O restaurante não era de primeira. Nem era necessário. È a companhia que faz o ambiente. Na verdade, ele nem se lembra do que comeu. Apenas se lembra da cara dela. E da perfeição dos seus seios. Escondidos por detrás de uma qualquer camisola. Abraçaram-se na avenida deserta. Encontraram o bar perfeito para acompanhar a conversa fluida. Contaram segredos. Partilharam emoções. Rememoraram o seu passado. Olharam para o presente. Sonharam o futuro. Repartiram tristezas passadas e alegrias futuras. Nunca ninguém olhou para o relógio. Ambos se esqueceram do telemóvel. O mundo só existia porque o vento fazia agitar as palmeiras junto do mar. Amaram-se toda a noite. Sem sono. Sem cansaço. So pelo prazer de sentir o outro.

No segundo dia, acordaram tarde. Fizeram sexo antes do banho. Com a saudade que quem se despede de um lugar. Ninguém esticou os lençóis. Ninguém alisou as fronhas. Apenas se enrolaram neles.Com o fogo de quem deseja o outro. Ele olhou-a a banhar-se. Admirou a sua beleza. Sentiu-se feliz. Apanhou as toalhas molhadas no chão da casa de banho. Cheirou-as levemente. O cheiro dela odorou-lhe ainda mais o seu desejo. Existem cheiros que sobrevivem. Ninguém desprezou o tempo a eleger a roupa que iria envergar. Esse tempo era excessivamente precioso. Ainda tiveram tempo para um pequeno-almoço tardio. Beijaram-se o dia todo. Abraçaram-se. Tocaram-se. Passearam de mão dada. Ninguém planeou uma visita guiada as sete da manha. Nem poderiam. Tinham feito sexo durante toda a noite. Não se desgastaram em múltiplas saídas com horas marcadas. Não olharam para vitrinas iluminadas. Não fizeram mais compras. Não correram para o hotel porque havia horas marcadas para o jantar. Não se olharam no vazio dos seus olhos cansados durante a fausta refeição. Não ficaram em silêncio durante toda a refeição. Não saíram para um pequeno bar para uma dança leve acompanhada por uma bebida e um regresso demasiado antecipado. Um regresso para dormir. Eles nunca dormiam apenas. Agora que ele se recorda, não tiraram uma única fotografia. As melhores lembranças ficam na memória. Não precisam de papel. Assim nunca amarelecem com o passar dos anos. Seguiram apenas pela estrada. Sem rumo e sem pressa. Apenas com aquele ar de tristeza. Apenas saudades de ver e confundir o ondulado do mar pelo meio do ondulado do cabelo dela.

Você com certeza já fez uma viagem destas. Eu já fiz. Todos fizemos. E compreendi o sentido da história. Estou a imaginar o vosso sorriso neste momento. Comparei-a com todas as minhas pequenas viagens de fim-de-semana. E percebi o que é ser uma alma gémea. Na vossa mente, passaram neste segundo todos esses momentos. Os vossos próprios instantes. Recordaram por  um breve segundos as circunstâncias e os ensejos que possuíam na altura. Também vocês já compreenderam. È tudo tão fácil de perceber. Não é necessário fazer nenhum teste de compatibilidade. Esta tudo ali naquela história. Ele tinha-me revelado tudo. Sem responder a uma única pergunta. Só me ocorreu uma palavra. Encantamento. O encanto, de quando você encontra uma pessoa que nos faz feliz. É alegrar-nos, ao ouvir a voz daquela pessoa. È observa-la, a passar e simplesmente sorrir. È tocá-la, e sentir seu calor. É abraçá-la, e sentir uma perfeita harmonia com a vida. É fazer amor, e sentir que o mundo parou. Nada mais existe naquele momento. Apenas duas pessoas. Dois corpos. Duas emoções. Um sentido. Encanto é saber e ter uma certeza imensa. Apesar de tudo e de todos. Encanto é passar horas deitado na cama, no chão, na relva, na praia, contando histórias e rindo até chorar. Encanto é achar que o outro é perfeito mesmo sabendo que isso não existe. Este encantamento é uma operação matemática. Remete para a adição. Soma um mais um. Mas o resultado nunca é dois. Porque o encantamento valoriza. Inflaciona os sentimentos. Estimula a pele. Aquece-nos. Muito. Por vezes demasiado.

Por muito que se queria o encantamento nunca se perde. È claro que eu acredito em fabulas. E porque não? Apenas temos que ter muito cuidado com nossas mudanças. Temos de estar constantemente abertos à paixão e ao amor pelo outro. Não nos fecharmos nos nossos problemas. Não transpomos para os outros. Não deixar a nossas tristezas enevoarem-nos a nossa visão do encantamento. Não ter medo de se entregar. E mesmo que isso aconteça o encanto permanece. Inerte e majestático. Apenas porque é puro ilusionismo. O coração faz de pomba que sai da cartola. E sai sempre. Apenas pela presença da nossa alma gémea. Não dói deixar-nos encantar. Como a própria palavra indica, é apenas algo de mágico. Mas não é uma ilusão.

E você já encontrou a sua alma gémea? Já se encantou eternamente? Espero que a história tenha ajudado a clarificar a sua visão. E porque não o seu coração. Não quer experimentar?


Music : Robin Thicke “ Lost Without You”

About these ads

14 Respostas to “Como descobrir a verdadeira alma gémea?”

  1. ana t. Diz:

    one of these days maybe your magic won’t affect me, and your kiss won’t make me meak
    but no one in this world knows me the way you know me
    so you’ll probably always have a spell on me… and so who wrote this???

  2. Só Maria Diz:

    a alma gémea não é nenhuma fábula, nem nenhum lugar distante.
    pode ser oposto como pode ser exactamente o nosso reflexo num espelho… a razão porque não encontramos é porque desde logo a pensamos inatingível, impossível de encontrar… e não é assim!

  3. adriane Diz:

    eu gosto de alguem e leltbm gosta de mim mais tem um problema eu não consigo namorara escondido de minha familia e se discer vai ser problema e a ultima coisa que eu quero é problema como posso fazer com eu seja feliz com ele?????

  4. Anna Paula Diz:

    como fico sabem que o meu marido é a minha alma gemia

    • jessica Diz:

      se queres saver se ele e a tua alma gemea perguntalhe se ele te ama de verdade,ou entao provalhe que so tens olhos para ele faz o que eu te digo e seras feliz como eu sou agora.kiss me.

      • maria Diz:

        eu tenho um verdadeiro amor mas antes dele tive muitos outros,por isso ele tem muitos ciumes e eu amava saver como fazer para ele ecreditar em mim. ajudem-me a conquistalo de novo.

  5. maria Diz:

    eu quero saver como encontrar a minha alma gemea mas como posso eu fazer isso

  6. hugo saulo alves chaves Diz:

    como encontrar a alma gémea

  7. bia Diz:

    conheci um homem a 5 anos atrás. eu gostei muito dele, nos conhecemos em uma balada,ele me pediu um beijo mas como eu já estava indo embora não pudi beija-lo, então trocamos tele e msn,ficamos de nos encontrar mas nunca dava certo, ele me ligava, eu sempre estava ocupada nunca se encontramos ,eu tbm ligava e ele tbm estava ocupado, um certo dia ele me ligou e falou que queria muito me ver,então marcamos de nos encontrar,quando eu estava saindo de casa para encontra-lo desci a escada e quebrei o pé, não tive como encontra-lo.,e da outra vez que nós marcamos de nos ver aconteceu algo ,começou a chover muito forte, então não nos vimos de novo, da ultima vez aconteceu um apagão, não nos vimos de novo: ficamos durante 5 anos tentando nos ver mas não conseguimo acontecia algo muito estranho toda vez que marcavamos de nos ver, então depois desses 5 anos voltei no mesmo lugar onde o conheci, e lá conheci uma outra pessoa por quem me apaixonei,com essa outra pessoa tudo foi diferente e deu certo, ficamos namrando durante um tempo: depois fui descobrir que o homem que conheci a 5 anos atrás é irmão do homem que amo, fiquei sem entender nada, não acredito que foi por acaso que os conheci: então acho que o ultimo que conheci é a minha lama gêmea pq não deu certo com o primeiro mas chegou a dar certo com o segundo, eu queria muito saber pq isso tudo na minha vida acabou que o que eu achei que fosse dar certo não está mas comigo e ele é o homem que eu amo e sempre vou amar nunca amei ninguém como amo esse homem tenho certeza que ele é minha alama gêmea

  8. maria eduarda Diz:

    eu nao consigo encontrar minha alma gemia mais se que ela pode me encontrar

  9. ana beatriz Diz:

    eu sonhei com um casal de gemeo mais eu não sabia quem era pedois quando eu acordei escovei os dente e foi para sala ver tv e eu vir uma ninisere zack e cody ai eu falei olhar os gemeos de quem eu sonhei mais eu nei sabia que era eles eu fiquei enpresonada e depois eu mim encantei pelo o dylan sprouse o zack toda as vezes que eu tento esqueser ele eu não consiguo eu quero uma resposta sera que eu vou encotrar ele ou ele e minha alma gemea.

  10. algu,em Diz:

    eu ñ sei o que alma gemeá mais sei que já me apaixonei muito, minha maior paixão foi uma loucura tínhamos um desejo muito forte um pelo outro nos amamos em qual quer lugar ate hoje sinto muita falta dele pois ele me fez uma mulher viva e feliz mais sua traição ñ sai de minha mente. hoje estou casada ñ posso dizer que amo posso dizer que já amei muito, hoje sou muito ama.

  11. MAria Diz:

    eu esto com namorado mais ele e perfeito eu acho que ele e a pessoa que fautava na mia vida OK


Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: